20 de fev de 2010

Daughter of Evil



Daughter of Evil - Letra da música
mukashi mukashi arutokoro ni
aku-gyaku hidou no oukoku no
chouten ni kun-rin suru wa
yowai juuyon no oujo-sama
ken-ran gouka na choudo-hin
kao no yoku nita meshi-tukai
aiba no namae wa Josephine
subete ga subete kanojo no mono
okane ga tarinaku natta nara
gumin domo kara shibori tore
watashi ni sakarau mono tachi wa
shukusei site shimae
"saa, hizama-zuki nasai!"
akuno hana karen ni saku
azayaka na irodori de
mawari no aware na zassou wa
ah youbun to nari kuchite yuku
boukun oujo ga koi suru wa
umi no mukou no aoi hito
dakedomo kare wa ringoku no
midori no onna ni hitome-bore
sitto ni kurutta oujo-sama
aruhi daijin wo yobi-dasite
shizuka na koe de ii-masita
"midori no kuni wo horobosi nasai"
ikuta no iega yaki-haraware
ikuta no inochi ga kiete-iku
kurushimu hitobito no nageki wa
oujo niwa todoka nai
"ara, oyatsu no jikan dawa"
akuno hana karen ni saku
kuruoshii iro-dori de
totemo utsukushii hana nanoni
ah toge ga oo-sugite saware nai
aku no oujo wo taosu beku
tsuini hitobito wa tachi-agaru
ugou no karera wo hikiiru wa
akaki yoroi no onna kenshi
tsumori ni tsumotta sono ikari
kuni zentai wo tsutsumi-konda
naganen no ikusa de tsukareta
heishi tachi nado teki dewa nai
tsuini oukyu wa kakomare te
kashin tachi mo nige-dasita
kawai ku karen na oujo-sama
tsuini torae-rareta
"kono burei-mono!"
aku no hana karen ni saku
kanashi-ge na iro-dori de
kanojo no tame no rakuen wa
ah moroku mo hakanaku kuzure teku
mukashi mukashi aru tokoro ni
aku-gyaku hidou no oukoku no
chouten ni kunrin siteta
yowai juuyon no oujo-sama
shokei no jikan wa gogo san-ji
kyoukai no kane ga naru jikan
oujo to yoba-reta sono hito wa
hitori rouya de naniwo omou
tsuini sono toki wa yatte kite
owari wo tsugeru kane ga naru
minshuu nado niwa memo kurezu
kanojo wa kou itta
"ara, oyatsu no jikan dawa"
aku no hana karen ni chiru
azayaka na iro-dori de
nochi no hitobito wa kou kataru
ah kanojo wa masani aku no musume
Daughter of Evil - Tradução
Há muito tempo atrás em algum lugar
Um reino perverso que ninguém tinha coragem de visitar
E seu soberano era uma garota tão má
A pequena princesa de 14 anos!

Tinha tantos objetos luxuosos
Seu fiel servo que era tão semelhante a ela
Josefina era como batizara seu cavalo
Tudo era dela

Se o dinheiro está em falta
Então tire de seu povo tolo
Aqueles que sente que querem lhe derrubar
É so limpar
"Agora, ajoelhem-se a mim!"

Flor do mau
Que florece caprichosamente
Com um colorido tão vivo
E mesmo as ervas que querem ficar
Elas vão morrer de qualquer modo e lhe alimentar

A princesa tirana era apaixonada por um homem
O princípe azul que não gostava muito dela
Mas ao mesmo tempo ele escolheu a princesa vizinha
De verde cuja os olhos são reluzentes quanto uma pérola.

A princesa enfurecida com tanto ciúme
Um dia chamou seu ministro e
Disse num tom baixo
"Destrua o país verde"

Montes de casas queimaram
Montes de vidas se foram
Enquanto as pessoas sofriam
Isso não importava para a princesa
"Ah, já é hora do chá!"

Flor do mau
Que florece caprichosamente
Com um colorido tão maníaco
Mesmo que ela seja uma flor tão bela
Ela tem espinhos demais e não pode ser tocada

A população sabia que não seria fácil vencer a princesa
Mas não podiam mais usar uma máscara
Como um bando de passaros eles foram liderados pela
Bela dama vermelha na armadura

Toda a raiva guardada por tanto tempo
Agora solta sem medo
Mas os soldados foram apoiados pelo que restou do país verde
Eles não eram inimigos ao todo

Assim que o palácio foi cercado
Todos os servos fugiram em pouco tempo
A princesinha não iria conseguir lutar sozinha
E foi finalmente presa
"Você é um homenzinho bem desrespeitoso!"

Flor do mau
Que florece caprichosamente
Com um colorido tão caótico
O paraíso que ela criou para ela mesma
Se mostrou o inferno que era para os outros

Há muito tempo atrás em algum lugar
Um reino perverso que ninguém tinha coragem de visitar
E seu soberano era uma garota tão má
A pequena princesa de 14 anos!

Ela seria punida às três em ponto
Quando os sinos da igreja batessem
A pessoa que um dia foi da realeza
Agora estava aprisionada sem dignidade

Quando o momento finalmente chegou
O sinos bateram de modo familiar
E sem olhar para os rostos da plateia
Ela disse com os olhos nos ponteiros do relógio
"Ah, já é hora do chá!"

Flor do mau
Que floreceu caprichosamente
Sem o colorido tão caótico
Agora que o povo reagiu sem pensar duas vezes
A filha do mau colheu o que plantou.


Música(MP3)

Videoclipe(MP4)

0 comentários:

Comenta?

Comente! =3
A sua opinião é muito importante para nós!! ^^